Teresina Diário - Conteúdo interativo de notícias, vídeos, esportes, lazer, blogs e jornalismo
25/09/2017 - 08:07 hs

Conheça as duas formas de combater as rugas com o ácido hialurônico

Entenda sobre o assunto em mais um artigo de Luciana Hipólito.

Por Saúde em Dia


O nosso corpo passa por mudanças químicas, físicas e biológicas gradativamente com o decorrer dos anos e a nossa pele é um dos órgãos que mais sofre esteticamente. Sendo a diminuição dos níveis de ácido hialurônico uma das principais causas da perda da hidratação da pele no envelhecimento. Mas o que esse ácido?

O ácido hialurônico é uma substância naturalmente presente no organismo humano, uma molécula de açúcar que atrai a água e pode atuar como um lubrificante e absorver choques em partes móveis do corpo como as articulações. É um biopolímero formado pelo ácido glucurônico e a N-cetilglicosamina. Ele possui uma textura viscosa, existe no líquido sinovial, humor vítreo e no tecido conjuntivo colágeno de numerosos organismos, sendo uma importante glicosaminoglicana (GAG) na constituição da articulação (líquido sinovial). Esse ácido possui a capacidade de se associar a proteínas para formar agregados moleculares, mas não forma proteoglicanos.

A maior parte do ácido hialurônico do organismo está situada na pele, o que confere ao órgão volume, sustentação, hidratação e elasticidade. Porém, com o tempo, sua concentração na pele diminui, o que causa o aparecimento de rugas e também seu ressecamento. A quantidade de ácido hialurônico é inversamente proporcional ao tempo de vida do organismo. Muitas pessoas utilizam ele pra mudar esteticamente a anatomia usando o ácido com a finalidade de aumentar o volume dos lábios, do zigomático (ou “maçã do rosto”), queixo, mandíbula, seios, nádegas e bochechas, e também para suavizar cicatrizes, procedimentos que duram entre 8 e 15 meses.

Na ortopedia ele é aplicado ao tratamento da artrose. Já na Estética, a substância é usada no preenchimento de rugas e sulcos faciais como, por exemplo, os sulcos nasojugais (conhecidos popularmente como “olheira”), sulcos nasogenianos (também conhecido como “bigode chinês”), as rugas glabelares (rugas do nariz e entre as sobrancelhas) e rugas finas como os populares “pés de galinha”. Uma outra forma para tratar as rugas seria o uso do ácido de forma tópica o qual pode ser potencializado com microagulhamento, radiofrequência e peeling os quais, quando montado um bom protocolo, obtém se resultados duradouros e satisfatórios. Costumo utilizar a substância associada a outras substâncias ou recursos estéticos (eletroterapia, crioterapia, termoterapia, entre outros) e os resultados são fantásticos. 

*Luciana Hipólito de Sousa Coêlho é graduada em Fisioterapia com Especialidade em Fisioterapia em Terapia Intensiva -UTI em Fortaleza pela Inspirar com atualização em cardiorespiratório e capacitação em fisioterapia funcional neurológica (estimulação precoce e neuro-infantil) e capacitação em fisioterapia em terapia intensiva e cárdio-respiratória neonatal, infantil, e adulto em Fortaleza. Contato: (86) 3221-9646 /99582-2020 / Atende no centro de saúde & estética São Ponciano

 

 

 





Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*