Teresina Diário - Conteúdo interativo de notícias, vídeos, esportes, lazer, blogs e jornalismo
25/10/2017 - 16:30 hs

Deputado diz que Temer pagou para evitar aprovação de denúncia

Por Luciano Coelho


A negociação política para barrar duas denúncias criminais contra o presidente da República, Michel Temer, tem um custo que pode chegar a R$ 32,1 bilhões. Essa é a soma de diversas concessões e medidas do governo negociadas com parlamentares da Câmara entre junho e outubro, desde que Temer foi denunciado pela primeira vez, por corrupção passiva, até a votação da segunda acusação formal, pelos crimes de organização criminosa e obstrução da Justiça. O deputado federal Assis Carvalho (PT) afirmou que estão sendo feitas negociatas para amealhar votos contra a admissibilidade da denúncia contra o presidente. O preço para impedir o prosseguimento das denúncias supera em R$ 6 bilhões os recursos previstos por Temer para pagar parcelas de famílias beneficiárias do programa Bolsa Família ao longo do ano que vem. O programa de complementação de renda foi orçado em R$ 26 bilhões, em 2018. Temer precisa de 172 votos a seu favor, ausências ou abstenções para barrar a segunda denúncia. Na primeira votação, ele obteve 263 votos. Segundo aliados, o presidente tem 240 votos garantidos, mas poderá chegar a 270 votos, resultado que confortaria o Palácio do Planalto e deverá servir como espelho para estratégias de tramitação das reformas tributária e da Previdência.

 

Segurança

No dia 27,  em Rio Branco, no Acre, acontece o Encontro de Governadores do Brasil. O governador Wellington Dias participará do evento que conta com a a presença do presidente da República, Michel Temer, além dos governadores. O tema é a “Segurança e Controle das Fronteiras- Narcotráfico, uma emergência nacional”, devido ao aumento da criminalidade em todo Brasil e à fragilidade das fronteiras brasileiras.

 

Retomada

O Tribunal de Contas do Estado do Piauí (TCE-PI) deve colocar em pauta a discussão sobre possíveis irregularidades na licitação para a subconcessão da Agespisa em Teresina, vencida pela Aegea Saneamento, que montou a Aguas de Teresina. A presidente do SFT, ministra Carmen Lúcia, deferiu parcialmente o pedido do TCE-PI que retomou a competência de julgar o caso.

 

PRTB

O Presidente Nacional do PRTB, José Levy Fidélix, vai estar em Teresina para inaugurar a sede estadual do PRTB no Piauí, no dia 1, às 17 horas, que está sob a batuta do deputado estadual Fernando Monteiro. Na ocasião, os filiados vão discutir sobre o planejamento das eleições de 2018. O partido vai funcionar no bairro de Fátima.

 

 

PPPs

O Conselho Gestor de Parcerias Públicas Privadas  aprovou as propostas de PPP propostas pelo Governo do Estado. Até março o governo quer assinar os contratos de concessão de uso de alguns equipamentos como o Verdão e o Albertão. O Estado já está trabalhando em uma Parceria Público Privada (PPP) para gerir o sistema de abastecimento de água e saneamento no interior do Piauí.

 

Centro de Estudos

Amanhã, 26 , ocorrerá a primeira reunião da Secional Piauiense do Centro de Estudos das Sociedades de Advogados (Cesa), sob a Presidência de Álvaro Mota. Compõem ainda a direção da entidade os advogados Rafael Neiva Nunes do Rego (vice-presidente), Mário Roberto Pereira de Araújo (secretário-geral), Jairo Oliveira Cavalcante e Leonardo Cerqueira e Carvalho.

 

VOZ DO PODER

"Se for julgado irregular, certamente, terá como consequência a anulação do processo. A lei de licitações é clara: sendo nula a licitação, o contrato é nulo", comentou o advogado do TCE-PI, José Pereira Liberato, falando sobre o processo de licitação da subconcessão dos serviços de aguas e esgotos em Teresina.

 





Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*